25 janeiro 2016

50º Sketchcrawl em Sao Paulo

Neste último sábado aconteceu o 50º Sketchcrawl, realizado no centro de SP, no coração da cidade.
Cheguei atrasado, mas ainda encontrei o arquiteto Mateus Rosada desenhando um panorama da praça da Sé. Sentei-me ao lado dele e fiz dois sketches bem rápidos e despretensiosos. Ainda não foi dessa vez que fiz um desenho à altura da catedral. Precisarei de tempo para conseguir tal feito.

Segui para o Páteo do Colégio, onde se encontrava o grupo de cerca de 40 sketchers. Fiz uma rápida aquarela do Monumento "Glória Imortal aos Fundadores de São Paulo", de Amadeo Zani.
Depois do delicioso almoço no restaurante "Piero", voltei com 2 colegas ao Páteo, onde fiz mais um desenho, tendo como tema um magnifico edifício situado na esquina da Praça da Sé (se alguém encontrar informações sobre o edifício por favor me passe! *** O colega Mateus Rosada acabou de me ajudar nessa: Edifício Rolim, projeto de 1927-1928, de Hippolyto Gustavo Pujol Júnior - Obrigado Mateus! ).
Já fui em muitos eventos como esse, sendo o primeiro em janeiro de 2009. Já houve, pro exemplo, um Sketchcrawl no páteo do colégio, em 2010, como você pode ver neste post.
Passados 6 anos, escolhi os mesmos temas. Durante o inicio da execução do desenho do edificio, me ocorreu que talvez eu fosse mais ousado, ou até melhor, em 2010."Será?" Me perguntei. Dessa vez eu sentia insegurança ao traçar as linhas. Fiquei meio impaciente ao notar, logo no inicio, que a construção não caberia na altura da página. Uma pena. Mesmo assim, insistentemente, segui o percurso de arestas e vazios, colunas e janelas.
O mesmo edifício, retratado em 2010

O resultado foi bom, gostei muito. Mas terei que voltar, pois quero chegar com esse colosso ao nível da praça.
Para fechar, andei pensando na importância social que o desenho, e mais precisamente o Urban Sketchers, pode ter: quantas pessoas são 'pescadas' dos seus mares de separação, atraídas pelo estranho 'obstáculo' que nos transformamos ao sentar nas ruas da cidade?
Quantos olhares curiosos captamos?
Quanto beleza é desenterrada em meio ao cotidiano amortecido?
Quantos elogios recebemos?
Quanta generosidade...gerada por um simples ato de ocupar o espaço urbano através do veículo que todos um dia pilotaram: o desenho!
E obrigado aos seguranças do Tribunal de Alçada Cível, pela água gelada a nós oferecida.
O edifício do tribunal, retratado há alguns anos atrás.
 

17 janeiro 2016

Museu de Arte Sacra

Neste último sábado, 16 de janeiro, participei de um encontro de Urban Sketchers São Paulo, no Museu de Arte Sacra, no bairro da Luz.
Foi um dia agradável, com bastante conversa e desenhos. Produzi bastante! Talvez porque fazia um tempinho que não saia às ruas para desenhar.
O prédio do museu é um interessante exemplar da arquitetura colonial brasileira. Fiz um desenho simples da fachada, que merece certamente um segundo e mais elaborado desenho. Me chamou a atenção os contrafortes nas paredes laterais e as proporções elegantes.

O acervo do museu é muito interessante!! Me surpreendi com a variedade de peças que vão de altares de madeira à prataria de peças eclesiásticas. Ótimo lugar para treinar o desenho: figura humana, através das estátuas, e objetos diversos, que exigem atenção às formas e detalhes.

E o mais legal é que o museu tem uma iniciativa nova de promover o desenho em suas dependências, inclusive oferecendo oficinas gratuitas. (Os seguranças nos deixaram sentar no chão para desenhar!). Uma ótima abertura para a arte, com uma atitude simples dos dirigentes do museu. Nada melhor que fazer um bom uso do acervo histórico, de forma criativa, envolvendo as pessoas.
Palmas para isso!
Palmas para os desenhistas urbanos!


15 janeiro 2016

Curso de Desenho de Vegetação

Olá!
É com muito contentamento que anuncio a primeira turma do Curso de Desenho de Vegetação!

Esse curso nasceu de uma crescente demanda de ex-alunos do ‘Curso do Bajzek’ em se aprofundarem no tema de vegetação. Além desse fato, percebi através da prática profissional, que este é um tema complexo. Requer prática e algumas estratégias, que desenvolvi ao longo do tempo, e que agora pretendo transmitir adiante.
O curso tem como objetivo criar estratégias gráficas para retratar o tema, de forma eficaz, utilizando algumas ferramentas de desenho específicas. O aluno será instruído a compreender como é a estrutura de troncos e galhos, qual formato e proporção da copa, como as folhas estão distribuídas e como se agrupam. O aluno aprenderá alguns conceitos práticos de desenho que fornecerão subsídio para que este possa ser habilitado a trabalhar no tema, por conta própria, após o curso.

O curso é destinado estudantes ou profissionais ligados à arquitetura, paisagismo, artes plásticas design, ilustração e outros que tenham interesse na área. Devido ao pequeno número de alunos (apenas 06!), cada um receberá orientação direta individual, diversas vezes.
O curso foi dividido em três módulos:
  • Módulo I: Arbustos e Forrações - 13/02/2016;
  • Módulo II: Árvores e Palmeiras - 20/02/2016;
  • Módulo III: Composição de Cenas - 27/02/2016;
Será realizado na sobreloja da Papelaria Universitária:
Rua Humberto I, 1012, Vila Mariana, São Paulo/SP

Veja abaixo os valores por módulo e os descontos sucessivos:
  • Módulo 1: R$ 350,00 (à vista, na reserva);
  • Módulos1 e 2: R$ 600,00 (em até 2x, sendo 50% na reserva);
  • Módulos 1,2 e 3: R$ 750,00 (em até 2x, sendo 50% na reserva);
Solicite mais informações pelo edubajzek@gmail.com

 Até breve!

12 janeiro 2016

Shopping Cidade São Paulo

No final do ano passado, realizei uma ilustração para o Shopping Cidade São Paulo, que fica na Avenida Paulista.  Foi um trabalho desafiador pois exigiu montagem de perspectiva à mão livre, apenas com base em fotografias e mapas.
O conceito da ilustração foi mostrar a proximidade do shopping entre dois pontos urbanos muito conhecidos entre os paulistanos - o edifício da Gazeta, e o MASP. Assim, a única solução foi fazer uma perspectiva 180º da avenida.
Comecei fazendo uma vista aérea, mas que foi logo deixada de lado por não destacar o shopping no contexto da cidade. Ainda assim, gostei do estudo ;)


Fiz um novo estudo, dessa vez ao nível do observador, e apresentei um croqui geral para aprovação, onde procurei dar mais ênfase à fachada do shopping.

Com o croqui aprovado segui com a montagem da perspectiva à grafite, passei tudo a nanquim, e por fim, colori com markers.

A imagem final sofreu ainda algumas pequenas alterações, as quais realizei no Photoshop: eliminamos um carro e o motoqueiro, e deixamos o vidro da fachada mais próximo do real, que é mais dourado.

Enfim, gostei muito do processo e do resultado!

01 janeiro 2016

Feliz 2016!

Li ontem mesmo uma frase de Heinrich Wolfflin, em seu livro "Conceitos Fundamentais da História da Arte", que me chamou a atenção. Ele diz que o valor de uma obra de arte reside no seu caráter de inevitabilidade, segundo o qual nada pode ser alterado ou removido, devendo tudo ser exatamente como é.
Ah se pudéssemos tratar nossas vidas assim como uma obra de arte! Eliminando tudo o que é supérfluo e inútil, atuando com convicção, presença e plena consciência, além de abrir espaço para a nossa intuição fazer o que tem que ser feito. A vida, que é um grande exercício de transformação, seria uma pintura que levaria décadas e décadas para ficar pronta e, no final, seria imutável e permanente, o que é um paradoxo.

Desejo a todos um Feliz 2016!

E para ilustrar essa postagem, não ousaria colocar um desenho ou pintura minha, mas escolhi uma aquarela de um dos grandes mestres: Anders Zorn.
Aprecie o permanente fragmento da realidade que é essa pintura.


27 dezembro 2015

Manhã de Domingo

Complementando a postagem de 05 de outubro de 2015, "Tarde de Verão", publico agora alguns desenhos do processo de montagem de outra perspectiva de uma residência para o condomínio Reserva dos Ipês.
Projeto da arquiteta Guidamara Soalheiro.
Veja a seguir:
Essa imagem refere-se à base da montagem do desenho, iniciada no Autocad 3D - um modelo simplista que eu mesmo fiz. Em seguida, levei essa base para o Photoshop, onde inseri colagens de pessoas e vegetação para compor a cena. No inicio do processo, ou seja, antes de aprovar o ângulo, procuro não perder tempo nessa etapa sob o risco de perder horas de trabalho.

Este é o croqui do ângulo, que é enviado ao cliente. Nesse momento, eu faço as correções necessárias na modelagem da construção, indico a posição do sol e o 'design' das sombras, complemento a vegetação, etc.

Montagem do desenho à lápis, já no formato A3. Continuando o processo, ao detalhar mais a vegetação, refinar a arquitetura, etc. A planta à direita foi composta com base em referências fotográficas.

A etapa do nanquim, já no papel final de aquarela. Eu sempre aprecio brincar com a margem do desenho.

A aquarela final, formato A3. Gosto do resultado, mas tive que editar um pouco a cor da empena colorida na entrada, pois na aquarela original não consegui o resultado que pretendia. Gosto da composição da cena nesse trabalho, principalmente a planta no canto inferior direito, sob a sombra de uma árvore. O resedá à esquerda ficou legal também, com as flores coloridas mas sombreadas. Palmeiras sempre ficam bem nos desenhos.

ps.: faltou nessa sequencia do processo a etapa do desenho tonal, conforme você pode observar na postagem anterior, pois não achei o original para escanear. Se encontrar, eu prometo atualizar a postagem.





01 dezembro 2015

Terra Papagalli

Terra Papagalli é o nome do primeiro livro publicado pela editora M'Arte, do querido Edoardo Rivetti!
Fico feliz em participar indiretamente do processo de concretização da editora, já que também terei meu primeiro livro publicado em breve!
Edoardo é um apaixonado por arte e por livros e está fazendo tudo com muito carinho e cuidado, a começar pela ótima equipe que formou, encabeçada pelo experiente Marcelo Arantes.
E para começar com o pé-direito, Edoardo convidou a dupla Eduardo Brettas e Dr. Luis Fabio Silveira para realizar esse belo projeto - ilustrar e  catalogar todas as espécies de papagaios, araras e piriquitos existentes no Brasil.
Eduardo Brettas criou 91 imagens das aves - belíssimas pinturas em guache (tive o prazer de ver um original...de cair o queixo!).
O lançamento do livro será na próxima semana, dia 09 de dezembro, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. Estarei por lá, com muito entusiasmo, prestigiando todos.

Apareça, conheça o Brettas e suas belas pinturas e compartilhe essa alegria com todos nós!



23 novembro 2015

Oficina de Desenho Urbano - Sri Prem Baba

Neste domingo dia 22 de novembro foi realizada a Oficina de Desenho Urbano em comemoração ao aniversário de Sri Prem Baba, conforme divulguei há algumas semanas. Veja neste post toda a proposta descrita.
A oficina foi super agradável, graças à melhora do clima que andava muito ruim nos dias que a antecediam.
Começamos com uma explanação sobre como a proposta foi elaborada, levando em conta os dois principais aspectos: a apropriação positiva do meio urbano e mudança da percepção presumida para a percepção verdadeira.
Em seguida fizemos uma rápida meditação com o objetivo de ancorar a presença de todos.
Depois começamos a trabalhar! Passei alguns artifícios que favorecem a leitura do real, como leitura de ângulos e espaços negativos.

Foi bem legal avaliar os resultados em conjunto, e mais ainda perceber uma evolução no pessoal, a cada desenho realizado.
Foi um pouco cansativo pois estava muito sol e muito calor! Mas valeu super a pena!
Essa oficina certamente me abriu o horizonte de um campo super interessante: a ligação entre desenho e autoconhecimento.


Mapa da Fazenda Rio Pardo

 Na sequencia da postagem anterior, realizei também o mapa geral da fazenda, conforme se apresentava no final do século XIX. A fazenda, que era dividida em duas partes (Fazenda do Campo e Fazenda Velha) foi unificada em 1893, com o nome de Fazenda Rio Pardo, o nome de uma companhia carioca que a adquiriu (e por coincidência, o nome de um dos rios que a circundam). Nessa época, a fazenda era também dividida em vários 'retiros', cuja localização foi estudada e contemplada cuidadosamente no mapa.
Este foi também um trabalho bastante desafiador, na linha do mapa do campo de golf. A parte de desenho em si não foi tão dificil, mas o planejamento de cores e a aplicação da aquarela foram particularmente complexos, mais uma vez, devido à dimensão do original (65 x 55cm). 

Muiiiita tinta para o primeiro wash.
A execução dos primeiros 'washes' foi ao mesmo tempo tensa e fascinante. À medida que fui vendo que estava dando tudo certo, fui ficando cada vez mais empolgado, e terminei vibrando! Não foram muitas vezes que isso aconteceu comigo: vibrar ao executar um trabalho!

Base bem inclinada e papel umido para facilitar a execução.
Naquele dia eu deixei o trabalho de lado e retomei nos dias seguintes, adicionando novas camadas e detalhes pouco a pouco.

A aquarela será transformada em um painel para ser colocado no club house, ao lado do mapa do golf.
Fazendo letra por letra...esse óculos já é bifocal, mas mesmo assim tive que tira-lo para poder fazer tais detalhes!



16 novembro 2015

Campo de Golf

Estive envolvido ao longo do ano em dois trabalhos realizados para a Fazenda Rio Pardo, que fica no município de Iaras, no interior de São Paulo. Os trabalhos foram feitos com bastante calma e preparação. São duas aquarelas com cerca de 65 x 55 cm, que serviriam de base para dois murais a serem implantados no club house do golf.
O primeiro que vou apresentar é o mapa do campo de golf da fazenda.
O trabalho foi realizado em várias etapas, começando por um sketch de concepção geral do mapa, levando-se em conta, desde o início, as dimensões e proporção da parede (3,80 x 4,35m).

O principal desafio foi adequar as dimensões do terreno ao formato quase quadrado. O campo é enorme, como se pode imaginar, com os 'greens' super compridos. Posteriormente, tive que deixar o formato mais quadrado pois não podia atingir os 4 metros de altura da parede (deixaria parte do mural inacessível à vista).
Esse sketch foi sendo refinado até que cheguei a um desenho mais limpo, a nanquim.
O próximo passo foi fazer um estudo de cores buscando uma paleta mais neutra, com tons mais suaves.
Em seguida, eu fiz a base do desenho no tamanho final, em um papel vegetal. Na ampliação tive que adicionar bastante detalhes às construções, através de inumeras fotos do local.


 Ao mesmo tempo, fomos estudando como seria o mural, quando aplicado à parede.

E ai veio a parte mais dificil, que foi produzir a aquarela! Muitas e muitas horas de paciência e determinação. A fase do desenho foi especialmente desafiadora, pois o papel era muito grosso, dificultando enxergar a base através da mesa de luz (por isso eu uso o i-pad).
Demorei cerca de 3 dias para pintar tudo, e mais 1 dia para escanear e criar a imagem no computador, a partir de 12 partes. O photomerge do Photoshop me salvou! Mas mesmo com ele, tive que fazer as emendas aos poucos, por trechos.
O trabalho foi então entregue e felizmente o cliente adorou! O original está enquadrado.



A etapa seguinte - a confecção do mural - foi realizada pela artista Nathalie Morhange, que fez um trabalho incrível.
Há cerca um mês fui visitar a fazenda, e tive o prazer de ver o mural pronto! Fiquei super feliz com o resultado desse processo.


Em breve postarei o Mapa Geral da Fazenda Rio Pardo!



15 novembro 2015

Algumas andanças na Av. Paulista

Em duas passagens rápidas pela Av. Paulista, fiz alguns sketches ligeiros e despretensiosos.
Hoje, domingo, estive por lá para fazer uns estudos e aproveitei para conhecer a nova 'praia paulistana'. Adorei o clima, com muita gente passeando tranquilamente, caminhando, correndo, pedalando, andando de skate, tirando fotos, etc...Os estudos, a propósito, me ajudarão bastante na próxima aula que darei por lá, no dia 22 deste mês.
Nesses sketches adotei um traço mais dinamico e veloz. Essa postura é um pouco difirente do meu habitual, mas sempre que a adoto, me lembro o quanto interessante pode ser trabalhar dessa forma.



28 outubro 2015

Oficina de Desenho Urbano no Aniversário de Prem Baba


Sri Prem Baba fará 50 anos no dia 09 de novembro. Não sou hindú (pelo menos por enquanto), mas aprecio muito a sabedoria das palavras deste homem, que já me tocaram profundamente muitas e muitas vezes.
O movimento Awaken Love, criado por ele, proporcionará durante todo o mês de novembro uma grande variedade de atividades gratuitas como meditações coletivas, mantras, aulas de ioga, vivências, etc. Vale a pena dar uma olhada neste link e escolher a sua atividade!

A oficina de Desenho Urbano terá duração de 3,5 horas, e será realizada ao ar livre, com desenhos feitos através da observação direta.

O principal objetivo será ocupar um espaço urbano através da arte, chamando a atenção das pessoas para esta possibilidade e talvez modificando um pouco a forma como as pessoas se relacionam com a sua cidade, sendo esta pessoa um participante ou até mesmo um transeunte que se depare com o grupo.

Para tornar essa oficina ligada ao propósito do evento, oferecerei o seguinte:

  1. Explicação rápida sobre o propósito do evento, e do movimento Awaken Love, de uma forma geral;
  2. Meditação de 3 a 5 minutos – essa meditação teria como objetivo fazer as pessoas firmarem presença e ter contato com essa prática;
  3. Atividade da oficina de desenho: Os participantes serão convidados a olhar atentamente para a cena a ser retratada, de forma consciente e realista. Um ponto interessante é que o desenho de observação direta, da realidade tal como ela é, permite as pessoas notarem o quanto ‘julgamos’ aquilo que estamos observando (usando paradigmas e signos criados durante a infância) ao invés de realmente ‘vermos’ aquilo que está a nossa frente. É um exercício de atenção e foco interessante. Um exemplo clássico é a pessoa desenhar um objeto como se estivesse olhando por cima (um prédio, um carro), mesmo que esteja sentada no chão. 
  4. Encerramento com exposição informal dos trabalhos realizados pelos participantes. É interessante notar nessa hora que, mesmo que o foco da atividade seja ao desenho realista (não imaginário), não haverá um desenho igual ao outro (mesmo que sejam sobre o mesmo tema!), pois cada pessoal tem uma maneira particular e inerente de ‘ver’ o mundo. Isso para mim, é se expressar com individualidade pois não usaremos signos e paradigmas ‘emprestados’.

DATA: 22/11/2015 (domingo)

HORÁRIO: 9:30 às 13:00hs

LOCAL: Avenida Paulista, com ponto de encontro na Cetenco Plaza, próximo ao restaurante ‘Spot’, na Al. Ministro Rocha Azevedo, alt. do nº 72

NÚMERO VAGAS: 25

COMO SE INSCREVER: Enviando um email para mim: edubajzek@gmail.com

O QUE LEVAR: 
O participante deverá providenciar uma caneta nanquim descartável (0,1 ou 0,2mm), além de outros materiais básicos de desenho de sua preferência, desde de que fáceis de carregar.
Será oferecido gratuitamente aos participantes um caderno de desenho.

Caso preferir, o participante deverá levar algo para sentar no chão, como uma canga ou um paninho. Ou ainda poderá levar uma banqueta leve (se possível dobrável).

A atividade é GRATUÍTA aberta a qualquer participante, o qual será solicitado a sentar-se, caminhar e permanecer em pé por algum tempo.
Não é necessário ser arquiteto ou artista profissional para participar!

Nos vemos lá!?

Qualquer dúvida só entrar em contato!
Namastê.